clique aqui!
by Banner-Link

Letras: com todas as LETRAS
Make your own free website on Tripod.com
                                                  JOSÉ DE ALENCAR  

(  Mecejana, CE , 1829  - RJ   , 1877 ) -  José Martiniano de Alencar nasceu em Mecejana , perto de Fortaleza, Província do Ceará, no ano de1829. Ainda na primeira infância, transferiu-se com a família para o Rio. Onde o pai desenvolveria a carreira política e onde fez os estudos elementares e alguns preparatórios, tendo, retornado à terra natal apenas uma vez, aos doze anos. Apaixonado pela Literatura desde a infância, levava em 1843 esboços de romance para São Paulo. Nesta cidade ficou até 1850. Terminando os preparatórios e cursando Direito. Em 1877, morre, cansado , desiludido , sempre magoado na vaidade, tão intensa quanto retraída, embora já então considerado a primeira figura das nossas letras. 
Romances: Cinco Minutos, O Guarani, A Viuvinha, Lucíola, As Minas de Prata, Diva , Iracema, O Gaucho, A pata da Gazela, Sonhos d'ouro, Alfarrábios, A Guerra dos Mascates, Ubirajara, Senhora, O Sertanejo , Encarnação. Teatro: O Demônio Familiar Verso e Reverso, As Asas de um Anjo, Mãe, O Jesuíta. Crítica ,Polêmica , Publicista: Cartas sobre a Confederação dos Tamoios: Ao Imperador: Cartas Políticas de Erasmo: Ao Povo: O Juízo de Deus : A Visão de Jó: O Sistema Representativo. Crônicas e Autobiografia: Ao Correr de Pena, Como e Por que sou Romancista. Divisão da obra alencariana.
O romance indianista: O Guarani, Iracema , Ubirajara Caracteriza-se por forte impregnação lírica: fundado antes no lendário que no histórico é um mundo poético que o leitor encontra, na ambiência, no enredo e principalmente na linguagem. Esse romance , de caráter lírico, poemático, aproveita o mito e o símbolo como elemento estético. O mito do "bom selvagem" (Peri, Iracema , Poti ) que contrasta com a ganância e a falsidade do civilizado europeu. Tem-se criticado com demasiada falsidade do civilizado europeu. Tem-se criticado com demasiada facilidade a idealização alencariana do nosso índio. A verdade é que novelas como Iracema e o Guarani são inegavelmente belas, válidas como obras de arte. 
Como romancista histórico: As Minas de Prata, A guerra dos Mascates, O Garatuja, Alfarrábios. Alencar explorou, por exemplo , o mito do tesouro escondido, a lenda das riquezas inesgotáveis de nossa terra descoberta, que atraiu para ela ondas de imigrantes e aventureiros, as lutas pela posse definitiva da terra e alargamento das fronteiras. Mas o histórico é mero pretexto para a trama novelesca da intensa movimentação e aventuras de imaginação. 
No romance urbano: Cinco Minutos, A Viuvinha, Lucíola, Diva, A Pata da Gazela, Sonhos d'ouro, Senhora , Encarnação/ Alencar retrata a vida carioca , com sua gente e costumes. Dramas morais, tipos femininos complicados, problemas do amor e do casamento com patriarcalismo determinando as uniões dos filhos- são outros tantos temas para as novelas de Alencar, que nelas realiza considerável levantamento da vida burguesa brasileira do seu tempo. Em Lucíola e Senhora já se notam prenúncios do Realismo. 
No romance Regionalista: Aí está um dos aspectos mais admiráveis do autor: dê-nos um painel das principais regiões culturais do País, a região sulina, com seus pampas e suas coxilhas ( O Gaucho) , a vida rural fluminense ( O Tronco do Ipê ) ,o planalto paulista e o nordestino ( O Sertanejo ) . Como no caso do romance histórico, não é a realidade, a verdade em si , que atrai o romancista, e sim o tema que possibilite dar largas a fantasia , ao seu estilo e ao desejo de lançar os fundamentos de uma literatura nacional.

Página Inicial

 

Próxima